Feedreader

Sou um fã incondicional dos RSS/RDF Readers/Aggregators. Em Linux, sou um feliz utilizador do Syndigator (feito por amigos para a biblioteca GTK/Gnome) e estou ansioso pela versão GTK2. Em casa, também tenho Linux, mas como ando sempre de um lado para o outro, dá-me mais jeito utilizar o Windows XP no Sony Vaio (não vou aqui entrar em ondas do tipo, compra um MAC ou usa tb Linux no Vaio, porque isso é outra discussão). Acontece que também quero ter um RSS Reader decente para Windows e andei a experimentar o Amphetadesk, BottomFeeder, Wildgrape Newsdesk e nunca estive contente. Ou eram pesados, ou com demasiadas features ou não faziam o que eu queria, etc, etc. Até que hoje descobri o Feedreader, instalei e gostei do que vi. Interface simples, sem grande complicações, limpo, bonitinho e rápido. Faz o que um RSS Reader deve fazer e bem. Além disso, tem uma feature que acho killer, vejo o artigo todo numa janelinha de ‘content’ com o html todo feitinho e excuso de lançar um external browser (posso também fazer isso, como é óbvio). Tenho também search e notificação de novos artigos por uma janelinha pop-up. Resumindo, Feedreader rulez e só me chateia o facto de ter dois clientes separados, um no trabalho, outro em casa e não conseguir partilhar a lista de feeds e sobretudo o history todo dos lidos/não lidos, ou seja, a tão falada sincronização, mas neste caso queria isso com clientes diferentes. O import/export do estilo BottomFeader não é perfeito e gostava mais de uma coisa em que tivesse apenas de indicar um URL. Talvez passando por OPML ?

A monocultura da Microsoft

Por coincidência, e apenas por isso, claro, duas rapidinhas sobre a Microsoft: Daniel Geer, CTO da @stake, foi dispensado (ie: deram-lhe um xuto) porque teve o desplante de dizer que a maior ameaça à segurança nas TI é a monocultura imposta pelo monopólio da Microsoft. Definitivamente, deram um tiro no messangeiro da verdade. Também não menos interessante é o artigo de opinião ‘Why COM stinks’ no Advogato.

Xangai afunda

O metro do Terreiro do Paço meteu água? Caiu uma ponte pedonal na IC-19? Não somos só nós que temos problemas com a construção. Parece que a cidade de Xangai está a afundar-se qualquer coisa como 1,5 cm por ano. E tudo isto causado pelo excesso de construção nos últimos dez anos. O que nos vale é que não temos arranha-céus…

Goldfrapp

O último álbum dos Goldfrapp, Black Cherry não pára de tocar nas minhas colunas. Estou cada vez mais viciado na deliciosa voz de Alison Goldfrapp. Já tinha gostado desta voz em ambientes sonoros dos Orbital e fiquei agarrado quando me surpreendi com Felt Mountain. Strict Machine é viciante.

Os símbolos

Existe gente que pensa que a violência dos atentados de 11 de Setembro foi principalmente simbólica. Que bom para as famílias saberem que perderam os filhos, mulheres, maridos em prol dos simbolismos…

Dia Europeu sem Carros

Para que serve o Dia Europeu sem Carros? Para nada, presumo eu. Arrisco quase a dizer que é pura fantochada demagógica para com o cidadão. É muito bonito vir com o discurso barato e repetido que uma cidade pode sobreviver sem carros. No entanto, em vez de se apostar no alargamento e melhoramento dos transportes públicos e na sua respectiva interligação, criando uma verdadeira rede, aposta-se mais nos parques de estacionamento subterrâneos. Onde estão as alternativas? Numa notícia que ouvi na rádio, desde 1991 até hoje, a taxa de utilização de transportes públicos (penso que em Portugal) diminuiu em 11%. Em contrapartida o uso do automóvel aumentou em 16%. Não basta ampliar a rede do metro, tem que se interligar este transporte com os comboios que vão para os subúrbios (só para dar um exemplo). Já nem falo na qualidade da CP como alternativa ao transporte pelas auto-estradas deste país… Dia Europeu sem Carros? Nome bonito, utilidade nula.

O que é feito de…

Luis Pereira de Sousa? Eng. Sousa Veloso? Vasco Granja? José Barata Moura? Sandokan? Fialho Gouveia? Ao ouvir estes nomes, surge-nos uma lembrança nostálgica do antigamente, neste caso na nossa amiga RTP. Os mikes da Caixa Idiota fazem-nos pensar em Luis Pereira de Sousa como excelente figura para ser locutor de rádio, e óptima voz para escritor. Nem mais. Haverá muitos mais exemplos…

Para quando um djbssh?

Estou farto. Esta semana, muita gente ficou farta. Farta de fazer upgrades consecutivos ao OpenSSH e farta de ter que lidar com bugs remotos graves a uma ferramenta essencial como o SSH. Supostamente, deixou-se de usar rsh, telnet, ftp para confiarmos no SSH. Mas o que aconteceu esta semana causa-me um calafrio na espinha com aquela sensação de insegurança em relação a futuros problemas. Eh pá, alguém que fale ao D.J. Bernstein, e que o convença a escrever o djbssh. É a única coisa a fazer. Metam um site com um ‘donate’ do Paypal para que se possa pagar ao homem o desenvolvimento do djbssh. Faça-se uma campanha: djbssh, please!

Sampaio prefere a SATA

O PR prefere voar na SATA. Para além da sua simpatia e bom serviço, o que é argumentado é por ser mais barata que a grande TAP e o PR gosta de poupar dinheiro. Diga-se, o nosso dinheiro. É sempre bom ver atitudes destas. Resta perguntar se o nosso dinheiro que mantem a TAP é bem gasto ou talvez não.