Prazeres

Estou refastelado no sofá e pensativo. Mais um fds familiar, em que passei o tempo todo em festas e sobretudo, a comer. Vinho caseiro, que se bebe como água. Comida divinal em que tudo sabe bem. Pessoas que se juntam só para o prazer de conversar e partilhar sabores. E existe tempo para tudo. O momento alto foi um Cartuxa de 2000, um vinho do Alentejo que deve ser bebido com calma porque tem um sabor único e um aroma que casa com qualquer prato de carne ou um queijo a condizer. Recomendo vivamente. Tal como umas batatas assadas no forno e grelhados sortidos que comi ali para os lados de Eira da Pedra, Fátima, que eram de outro mundo. A vida é dura.

Anacom ilegaliza VoIP em Portugal

A propósito da suspensão da oferta do Optimus Home e da deliberação da Anacom, esta acaba de ilegalizar o VoIP em Portugal:

A entidade reguladora argumenta que a frequência GSM atribuída à Optimus serve para prestar “um serviço de radiocomunicações entre estações de base e estações móveis terrestres, ou entre estações móveis terrestres”.

O Optimus Home apresenta “todas as características e funcionalidades essenciais de um serviço móvel, com a particularidade de a mobilidade ser restringida”, acrescenta a entidade reguladora.

“Pelas características descritas”, afirma a Anacom, o Optimus Home “não pode ser prestado” com base no “Plano Nacional de Numeração”.

“Não é compatível a associação de números geográficos a outro serviço que não o serviço telefónico acessível ao público em local fixo”, diz ainda a Anacom.

Duh?

Chiclete de Ouvido

Nada de banana phones, bager, llama song ou coisa parecida. Estas é que continuam as mais tocadas na minha playlist. Apenas cinco:

The Quakes – The Killing Moon (Echo and the Bunnymen)
Frank Bennett – Disarm (Smashing Pumpkins)
Magnetic Fields – Strange Power
The Strokes – 12:51
Kaiser Chiefs – I predict a riot

A reboque

Por puro azar, é a segunda vez em 2 meses que tenho que recorrer a um reboque para levar o carrito para o mecânico. Já não basta um tipo ficar chateado com a situação e ainda por cima tem que aturar com a indisposição dos rebocadores. Devem ser da mesma quinta que os taxistas, só pode. Chegam sempre mal encarados, com cara de poucos amigos, perguntam onde está o carro, fazem-se de enjoados, olham logo de esguia e só lhes agrada a coisa quando sabem que a garagem não fica longe. Hello? Supostamente eles não deveriam ser profissionais e dizer, ‘Não se preocupe, vamos tirar o seu carro daqui o mais depressa possível… etc e tal?’ Ok, até parece que não conheco o meu país. É mais um desabafo, apenas isso.