O cavaleiro branco

Segundo o que se lê pelo Corta-fitas, a parada poderá subir para 10,5 Euros/acção:

O El Confidencial, sempre bem informado, diz que a Sonae tem na France Telecom (com o Banco Santander envolvido, entre outros) o “cavaleiro branco” para voltar a agitar o mercado e aumentar a sua oferta de 9,50 euros para 10,5 euros/acção na luta renhida pela PT. Uma resposta à propalada unificação das redes fixa e móvel?
Já agora, e na definição medieval a que o site espanhol inteligentemente recorre, um “cavaleiro branco” opõe-se normalmente a um “cavaleiro negro”: “Hace unos meses se barajó la posibilidad de que en caso de que France Telecom estuviera detrás de la oferta de Sonae, Telefónica podría responder con el lanzamiento de una contraopa.

Google for your Domain

O Google passou a oferecer Gmail, Google Talk, Google Calendar e Google Page Creator para domínios próprios. Para já e em fase beta, o serviço Google Domain é de borla. No entanto, parece-me que nem todas as empresas são elegíveis para o serviço, pelo menos enquanto durar a fase beta. De qualquer modo, isto serve de alerta para as empresas que vendem registos de domínios e hosting, estilo chapa-quatro, que se nos próximos tempos não subirem a fasquia e não oferecerem algo que acrescente valor ao seu serviço, estão condenadas à irrelevância. A questão já não é apenas registar o domínio, ter caixas de correio e uma página. As pequenas e médias empresas poderão aderir ao Google Talk e Google Calendar e descobrir que poupam uma pipa de massa em software colaborativo ’empresarial’ que de outro modo, não estaria ao seu alcance. Basta terem uma ligação à Internet. E sabem que com o Google, é muito difícil algum dia ficarem sem serviço. Será desta que a moda das aplicações, aluguer de software ou asp’s vai arrancar de vez? Estes gajos são mais espertos do que eu e há quem diga que existem problemas de privacidade. E que este novo serviço poderá ser o Google Office 1.0 (mais tarde virá a folha de cálculo e processador de texto).

Oeste Digital

Parece que no velho Oeste, o novo Digital não pode ser criticado. Por causa deste post, o autor do blog foi ameaçado por ‘alguém’ do Oeste Digital (Associação de Municípios do Oeste) pela crítica que fez a mau código do gestor de conteúdos vendido como se fosse a oitava maravilha do mundo e claro, pago com dinheirinho público. Este país é assim.

United 93

Já nem me lembrava da última vez que tinha ido ao cinema, mas esta noite, para saírmos da rotina de pais fomos ver o United 93 a Leiria. Sessão das 21h45, esgotada. Ok, no problem, pode ser a sessão das 0h00. Quando escolhia as cadeiras, reparei que metade do cinema já estava preenchido. Estranho, para uma sessão tão tardia. Mas lá compramos os bilhetes e fomos jantar. Escolhemos o United 93. Como alternativa tínhamos o novo Super-Homem que anda por aí mas que só prometia o fogo de artifício do costume. Já tinha lido alguma crítica no IMDB sobre o United 93 e estava curioso. É impressionante, mas o filme é exactamente como o descrevem. A princípio desconfiava que o que se passou no voo 93 da United Airlines no dia 11 de Setembro de 2001 fosse aproveitado para mais um filme blockbuster, com os heróis do costume, a xaropada oportunista de Hollywood sobre uma verdadeira tragédia americana. Mas logo de imediato pudemos notar que este filme era diferente. O que mais me impressiona no United 93 é a sua simplicidade. A realidade nua e crua, filmada de maneira directa, em tempo real, desde o momento que o avião levanta vôo, passando pelas cenas de confusão geral nas torres de controlo aéreo, a inépcia do sistema de defesa militar, o ar de espanto de toda a gente quando viram os primeiros embates no World Trade Center, os passageiros do United 93 em estado de choque e sem perceberem o que lhes estava a acontecer e a consequente aproximação a Washington. Não há efeitos especiais, não há terroristas com kalashnikovs de ar alucinado, não há teorias da conspiração, não há polícias maus, nem polícias bons, não há patriotismo serôdio, apenas há, isso sim, pessoas normais que nesse dia tiveram o azar de ir naquele avião e que habitualmente teriam mais um dia comum nas suas vidas. É curioso ir ver um filme em que se sabe como vai acabar. É curioso e estranho. Se calhar é por isso que muita gente opta por ir vê-lo. O final não é surpreendente, nem empolgante, nem decepcionante. É extremamente perturbador. Pela sua frieza. Pelo seu realismo. O que mais me impressionou foi o silêncio que se fez na sala logo após o fim. Ninguém sorriu, ninguém apupou, ninguém chorou. Apenas… silêncio. Recomendo.

A preservação do “legado”

Não resisto, uma vez mais, a citar A Terceira Noite:

Só que, apesar dessa «benignidade», o regime salazarista conformou, em Portugal, uma sociedade fechada, desigual, desumanizada, repressiva, arcaizante, cujos sinais aparentemente incorpóreos permanecem em muitos dos nossos atavismos, mas cuja conformação visível se situa nas práticas objectivas e na herança cultural que nos legou. Basta – recomendo-a a quem para tal tenha paciência – uma leitura atenta dos interesses e dos códigos evidenciados todos os dias pela maioria da nossa imprensa regional. Aí, sobrevive ainda o nosso «fascismo» caseiro. É nesse sentido que, enquanto «lugares da memória» e nichos de resistência, as prisões políticas ou os edifícios da Pide – em conjunto com todos os espaços simbólicos que despertam para a lembrança daquela época – merecem ser preservados. Ficarão como sinais de que por aqui existiu, legando ao presente as suas marcas repulsivas, um tempo de ordem e barbárie.

O Partido de Deus

Cada vez mais interessante, este  A Terceira Noite:

O rendimento médio per capita é, no Líbano, de cerca de 3.700 US dólares anuais. Um número muito grande de libaneses ganha, pois, muitíssimo menos. Os pagamentos feitos pelo Hezbollah aos milhares de famílias xiitas que perderam as suas casas durante os bombardeamentos israelitas, destinados a que estas possam pagar a reconstrução ou o seu realojamento, varia entre 10.000 e 12.000 dólares, entregues de imediato e em cash, nas conhecidas notas verdes com um retrato de George Washington. Calculo que, de acordo com algumas teorias circulantes a respeito da condição de «movimento de massas» do «Partido de Deus», se considere que tais somas resultem de uma extraordinária capacidade de solidária liquidez da parte dos militantes islamitas e das populações que dizem representar. Existe também quem acredite ainda no Pai Natal. Ou, em versão melting-pot, quem afirme a pés juntos que Elvis Presley há-de regressar numa manhã de nevoeiro. Há crenças para tudo.

O Cedro das Patacas, A Terceira Noite.

Mesothelioma

If you want to know more about Mesothelioma (discovered this unknown form of cancer with a relative of mine, who’s studying Medicine) just browse Wikipedia:

Mesothelioma is a form of cancer that is almost always caused by previous exposure to asbestos.[1] In this disease, malignant (cancerous) cells develop in the mesothelium, a protective lining that covers most of the body’s internal organs. Its most common site is the pleura (outer lining of the lungs and chest cavity), but it may also occur in the peritoneum (the lining of the abdominal cavity) or the pericardium (a sac that surrounds the heart).

Most people who develop mesothelioma have worked on jobs where they inhaled asbestos particles, or have been exposed to asbestos dust and fibre in other ways, such as by washing the clothes of a family member who worked with asbestos, or by home renovation using asbestos cement products. There is no association between mesothelioma and smoking.[2]