LDAP

A última vez que tinha lidado com LDAP foi em 2000. Na altura tinha um OpenLDAP configurado para integrar com uma série de qmail-ldap toasters e pouco mais. Crashava-me constantemente, a replicação não funcionava e passei a odiar os ldifs e tudo que pudesse derivar do protocolo X500. Esta semana, comecei a brincar com autenticação LDAP no escritório em: samba (com roaming profiles, PDC, tudinho), wildfire (o nosso im server), zimbra (exchange killer), posix/pam, apache2 com mod_ldap e mod_auth_ldap para sites internos (estou a pensar usar num futuro SSO) e até no servidor de vpns (PopTop + FreeRadius + LDAP). Estou completamente babado e contente com o OpenLDAP. I’m in love again with LDAP. Dica: o phpmyldapadmin é um life-saver.

Google Tube

Afinal os rumores não eram falsos. O Google comprou o YouTube por apenas 1.65 Biliões de dólares. Done, está feito. Agora, o mais interessante. O grande calcanhar de aquiles do YouTube não está nos custos (o storage está barato e o tráfego era oferecido pela Limelight Networks, um sério concorrente da Akamai). O problema é a questão da propriedade intelectual da imensa maioria de vídeos que são colocados diáriamente no YouTube. Será que virá aí uma avalanche de processos de copyright infrigement por parte do cartel de Hollywood? O que acontecerá ao Google Video? O Google terá algo na manga (algum pré-acordo com Hollywood) ou compraram o YouTube só porque podem? De qualquer modo, e pelo que ouvi de uma entrevista ao Eric Schmidt num podcast da Time Business, estas decisões no Google costumam ser ponderadas por todos, incluindo a maior parte dos engenheiros, que detêm um enorme poder naquela empresa. E uma das perguntas que internamente lá fizeram foi esta: o Google neste momento tem muito dinheiro, o que devemos fazer com ele? Alguém deve ter sugerido que se deveria comprar o YouTube. Pois aí está. De qualquer modo, não acredito no modelo de negócio do YouTube, a começar pelas questões legais e pelo preço astronómico da compra. Como diz o Om Malik, para já, quem sai a ganhar são os três antigos sócios do YouTube, a Sequoia Capital e o vendedor de Ferraris mais próximo.