zfs-fuse 0.5.0

Remember ZFS for Fuse? It was a Summer of Code Project, done by Ricardo Correia (he’s now working for Sun). This guy has done a great job porting it from Solaris to Linux/Fuse. Since we will not see any kernel driver version for Linux anytime soon due to license problems, and for those that want to test it, there is good news. I’ve checked his page today, and oh boy, the project is not dead and we even have new release, 0.5.0! Yay. Checking from the CHANGES file, the new release is up-to-date with ZFS Pool 13, lot’s of bugfixes and new features like gzip compression, async i/o, send/recv and much more. I’m going to test it very soon. Almost missed this.

Busy S3

Wow, this numbers about S3 usage are pretty impressive. Take a look:

Amazon S3 usage has grown very nicely in the last quarter and now stands at 29 billion objects, up from 22 billion just a quarter ago. As one of the S3 engineers told me last week, that’s over 4 objects for every person now on Earth!

Our customers are keeping S3 pretty busy too. To give you an example of what this means in practice, the peak S3 usage for October 1st was over 70,000 storage, retrieval, and deletion requests per second.

And there are also new prices on S3 based on a tiered model (decreasing on the amount of storage).

Oh Magalhães, que vida é a tua?

Não foi preciso esperar muito tempo. Um retrato do país do Choque Tecnológico e do ClassmatePC Magalhães:

A empresa que produz o computador Magalhães é arguida num processo de fraude e fuga ao IVA que terá lesado o Estado, no total, em mais de cinco milhões de euros.

Além da JP Sá Couto, é também arguido um dos seus administradores, João Paulo Sá Couto. O administrador e a empresa são acusados da prática dos crimes de associação criminosa e de fraude fiscal, juntamente com outros 39 arguidos.

Alguém me explique como se eu tivesse 8 anos, como é possível convocar 200 professores para dois dias de trabalho com a Intel, com a apresentação do «Magalhães» em pano de fundo e, basicamente, 3 senhoras americanas, apoiadas por pessoas de… uma empresa (!), gastarem um dia a obrigar-nos a produzir teatrinhos e cantigas para miúdos de 6 anos, outro meio dia gasto com russos a lerem powerpoints em pseudo inglês, escritos em Português, com tradução por senhoras contratadas.

Como professor e coordenador TIC senti-me vexado nestes dois dias. Aquelas senhoras devem pensar que somos um bando de imbecis e nunca vimos um computador na vida; tudo isto pago pela DREC, cuja Directora, no final, enalteceu o evento.

Relativamente aos meus colegas, mostraram, como sempre, que tudo são capazes de fazer, mesmo o ridículo, mas ficou, essencialmente, a prova de como não há-de o Ministério fazer de nós gato-sapato a seu bel-prazer!!!

Atenção, qualquer semelhança entre este vídeo e uma sessão da IURD é mera coincidência.